Palestra levanta debate sobre negritude e moda étnica

Esta postagem foi publicada em 22 de novembro de 2018

Alunos do curso de Design da Moda da Faculdade Senac participaram, no último dia 20, do bate-papo “Modelagens diferenciadas: Dia da consciência Negra”, organizado pelas docentes Tatalina Oliveira e Daniela Vasconcelos, dentro da programação da XX Mostra de Extensão da Faculdade Senac. A ocasião aconteceu no Dia da Consciência Negra, e contou com a presença da Ex-Aluna de design de Moda, Maria Alice, do Maria Alice Ateliê, e com Jéssica Silva, idealizadora da marca autoral Zarina Moda Afro.

Professora da disciplina Moda, Cultura e Sociedade, Tatalina Oliveira promoveu o encontro, trazendo duas empreendedoras, ativistas e negras para falar sobre o assunto. “Eu tenho uma relação direta com o tema dentro de sala de aula e a disciplina traz esse debate sobre a questão da negritude e da relação da moda étnica. Isso tem uma representividade muito grande na sociedade e no mercado. Então pensei, por que não trazer duas meninas que são empreendedoras e que possuem uma trajetória interessante no estado e mostrar o potencial delas?”.

Palestra moda e etnicidadeA aluna Manuela Brito achou bem legal o diálogo com as palestrantes e comenta que o tema veio unir datas importantes, em dias consecutivos: Dia do Empreendedorismo Feminino e o da Consciência Negra, levantando questões bem esclarecedoras. “As meninas mostraram a força e a representação feminina e do negro no mercado, trazendo para mim um novo olhar sobre a temática dentro da moda”.

A sócia da Zarina Moda Afro, Jéssica Silva, trouxe referências de estampas africanas com a identidade negra, no intuito de valorizar a cultura afro-brasileira. “A gente veio trazer um norte para os alunos e o nosso olhar, enquanto mulheres negras, para o mundo da moda. A ideia é dar poder a outras mulheres e homens negros e relacionar militância com moda, pois vestir é uma forma de empoderamento”, destacou.

A ex-aluna Maria Alice começou com um pequeno ateliê e hoje trabalha camisetas e moda ativista em prol do negro e da mulher. Apesar de terem estilos diferentes, ambas as palestrantes trabalham com a questão da identidade étnica. “Foi legal estar hoje como palestrante. Quando comecei o curso de Design de Moda me inspirei em pessoas, que também foram ex-alunos daqui da Faculdade, e achava isso muito interessante. E hoje me vejo aqui inspirando outras pessoas a seguirem o mesmo caminho. Achei muito legal a iniciativa de levantar o tema junto aos alunos”.


Por: Luciana Torreão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *